Resultado para a busca: "pou"

Catálogo

Eventos - Ver todos



Notícias - Ver todos

showdebola

“Show de bola” em versão para iPad traz narração e interatividade

Data: 10/6/2014

Todo o conteúdo do livro pode ser lido em português, inglês ou espanhol

Às vésperas do início da Copa do Mundo FIFA, a FTD preparou uma surpresa para os fãs de futebol e de leitura: um aplicativo que traz todo o conteúdo de Show de Bola, livro sobre um dos esportes mais populares no mundo. Criado em uma parceria entre José Santos e seu filho Jonas Worcman de Matos, a versão impressa traz poemas bem-humorados sobre o universo futebolístico. Historinhas sobre figurinhas conhecidas de qualquer time de futebol, como o goleiro que não deixa passar uma bola ou o jogador que não sai do banco de reservas marcam presença, assim como adivinhas, dicionário de termos comuns no futebol e uma galeria com craques de todas as gerações. E para fechar em grande estilo, as ilustrações de Girotto complementam e trazem ainda mais vida à obra.

Na versão para o aplicativo, tudo o que faz Show de bola ser apaixonante continua presente, mas com novas e incríveis funcionalidades: todos os poemas são narrados e cada página traz elementos interativos que tornam a leitura ainda mais divertida para aficionados de todas as idades. Além disso, ele vem em três línguas: português, inglês e espanhol. Desse modo, além de ser uma ferramenta útil para a aprendizagem de idiomas, o livro serve para que estrangeiros conheçam um pouco mais de nossa língua e, também, de nossa paixão pelo futebol.

Mas, atenção: o aplicativo do livro Show de bola está disponível apenas para iPad.

Confira aqui um vídeo sobre todos os diferenciais de mais esse produto da FTD. Para comprar, clique aqui.

* Show de bola no Museu do Futebol  -  junte-se a nós e aos autores para uma atividade temática para lá de divertida, com direito a degustação do livro digital interativo, neste domingo (15), no Museu do Futebol. Clique aqui para mais informações.

Tags:

include('blocos/share-addthis.php'); ?>
fnlij_nanamartins

Literatura indígena: destaque na FNLIJ e na FTD

Data: 6/6/2014

Celebre o encontro que discutiu o tema e confira nossos livros que falam da cultura do índio

O 16º Salão FNLIJ do Livro para Crianças e Jovens continua rolando no Rio de Janeiro e a FTD ainda está por lá, preparada para receber todos os pequenos leitores que passarem pelo evento. Em meio a lançamentos e bate-papos com autores, houve espaço para o XI Encontro de Autores Indígenas, que discutiu, entre outros temas, o uso da diversidade cultural e sabedoria dos povos indígenas na literatura, além de como chamar a atenção do mundo para a preservação da diversidade biológica.

Naná Costa, autora do livro Pedzeré – Linhas e cores, lançado pela FTD em 2012, participou da mesa A magia feminina na Literatura Indígena que contou, ainda, com as escritoras Aurilene Tabajara e Eliane Potiguara, além da mediação da escritora e tradutora Ninfa Parreiras. A discussão foi tão inspiradora que resolvemos dividir com você, leitor, alguns dos livros lançados pela FTD que tratam das tradições e costumes do povo indígena brasileiro. Confira!

Pedzeré: Linhas e cores, de Naná Martins
A bela indígena Pedzeré gostava de colher folhas frescas todas as manhãs, próximo a sua aldeia. Uma jiboia-arco-íris que sempre a observava apaixona-se pelo encanto da jovem e pede aos céus que o transformem em um homem para se declarar a Pedzeré.

 

 

 

 

 

Pequenas guerreiras, de Yaguarê Yamã
Agraciado com o selo Altamente Recomendável da FNLIJ 2014, o livro traz a história de cinco meninas, filhas das amazonas, lendárias guerreiras indígenas que deram nome ao estado homônimo, na região Norte do Brasil. Um dia, elas vão brincar no lago Espelho da Lua, na região do rio Nhamundá, e são surpreendidas por indígenas inimigos.

 

 

 

A aventura de Abaré, de Juliana Schroden
Abaré é um simpático papagaio que vive com seu amigo Membira e sua família em uma aldeia indígena nômade. Embora feliz, Abaré parte para a cidade em busca de aventuras. Nelas, conhece diversas crianças, que vivem em famílias muito diferentes, em ambientes urbanos bem variados. E nessa busca, ele faz uma descoberta reveladora.

 

 

 

 

 

O sapo e o deus da chuva: um conto do povo yaqui, adaptado por Judy Goldman
O sol escaldante castigava a terra. Nenhuma gota de chuva caía. O povo da aldeia já havia rezado durante muito tempo ao deus da chuva, mas ele não ouvia. Quando o chefe da aldeia anunciou que o povo teria que abandonar o lugar, um terceiro mensageiro se apresentou: um sapo ancião. Qual seria o seu plano?

 

 

 

 

 

As Queixadas e outros contos guaranis, organizado por Olivio Jekupê
Coletânea de sete contos da cultura guarani que ganhou o selo Altamente Recomendável na FNLIJ 2014. A maior parte deles conta a origem de alguma coisa: por que é tão difícil caçar o urubu-rei; a origem do sol e da lua; por que os sapos fazem tanto barulho à noite; como um menino valente colocou limites ao sol, ao vento e ao frio; a primeira e única moça que virou sereia; um coelho silvestre (tapixi) tímido, mas curioso; o indígena que conheceu a Terra sem Males (Yvy Marãhe’y). O livro inclui, ainda, uma apresentação e textos informativos sobre os Guarani e sobre o cotidiano das crianças nas aldeias.

 

 

 

Aventuras do menino Kawã, de Elias Yaguakãg
Conheça a história de Kawã, um menino do povo indígena Maraguá que vive na aldeia Yãbetué’y, às margens do rio Abacaxis, no Amazonas. Seu maior desejo é se tornar um mirixawa, ou seja, um caçador-mor. Para realizar esse desejo, ele precisará passar por três provas: caçar uma onça-pintada, uma cobra-grande e um gavião-real. Além de conhecer mais sobre os costumes dos índios Maraguás, o leitor também confere uma série de palavras, grafismos do povo, entre outros regionalismos amazônicos.

 

 

 

 

O livro da Floresta Amazônica – Biblioteca da Turma, de Mauricio de Sousa
Uma fascinante viagem pela maior floresta do mundo e um pouco sobre os povos que nela habitam e seus costumes, as diversas espécies da fauna e da flora, as tradições e os sabores dessa maravilhosa região do Brasil. E a urgente necessidade de preservar toda essa riqueza. Ao final, um Almanaque com curiosidades sensacionais e atividades para testar seus conhecimentos.

 

 

 

 

 

Kurumi Guaré no coração da Amazônia, de Yaguarê Yamã
Indicado como livro de Acervo Básico na FNLIJ 2007, o livro conta a história de kurumi Guaré, que aprende a viver em contato com a natureza exuberante, intocada, preservada. Singra lagos e ygarapés sob as copas da mata alagada, escapa de bichos nos ygapós, percebe os espíritos da floresta, vê homens lutando com animais gigantescos. As histórias que ouve dão medo na hora de dormir, mas o kurumi segue as tradições de seu povo, enfrenta o ritual da tukãdera e vai crescendo em tamanho e sabedoria.

 

 

 

 

Um estranho sonho de futuro – Casos de índio, de Daniel Munduruku
Um garoto da cidade grande vai passar uns dias na aldeia Munduruku, no Pará, e quem nos conta a história é o indígena que o acompanha nessa viagem. O relato contrapõe todo o tempo o modo de viver indígena e o não-indígena, provocando a revisão de conceitos modelados pelo preconceito, pela intolerância ou mesmo pela falta de informação.

 

 

 

 

 

Órfãos de Haximu, de Inês Daflon e Maria Lúcia Daflon
Filhos de uma índia brasileira com um médico inglês, Daniel e sua a irmã gêmea, Nape, nascem numa reserva indígena em Roraima. Por motivos ligados à cultura Yanomami, apenas um deles deveria sobreviver e, por isso, o pai foge com o menino para a Inglaterra. Ao chegar na idade adulta, Daniel recorre ao estudo da Antropologia como forma de entender melhor seu passado. O processo de autoconhecimento o traz de volta ao Brasil e à floresta, onde vivencia o dia a dia de uma aldeia Yanomami. A trama mistura realidade e ficção e inclui fatos recentes da história do Brasil. Entre os acontecimentos abordados, estão o Massacre de Haximu (1993), quando indígenas Yanomami foram mortos por garimpeiros, e a disputa na reserva Raposa Serra do Sol, em que, após anos de polêmica, o Supremo Tribunal Federal (2009) deu ganho de causa aos povos indígenas.

 

 

 

Orlando Villas Bôas – História e causos
Neste livro autobiográfico, o indigenista Orlando Villas Bôas, falecido em 2002, relembra a trajetória de sua vida, especialmente a Expedição Roncador-Xingu, que liderou com seus irmãos Cláudio e Leonardo, em meados do século passado. Orlando faz pela primeira vez um registro sistemático de suas lembranças e histórias, muitas delas já disponíveis de maneira dispersa em livros, entrevistas e reportagens. Parte substancial da obra é dedicada à discussão da política indigenista no Brasil. Suas idéias e convicções estão amparadas em mais de 40 anos de estudo e de vivência entre as etnias do Xingu.

Tags:

include('blocos/share-addthis.php'); ?>